segunda-feira, 29 de março de 2010

Momentos de resistência de Jesus!


Jesus Cristo, homem que uniu contrastes

Jesus Cristo foi o homem que uniu contrastes.

Morreu na cruz perdoando a humanidade,

Saboreou a glória do anonimato,

Surpreendeu a todos com seus actos.

No campo da emoção tinha segurança

Mas, por trás dela, a sensibilidade.

Juntou todos numa só aliança

E ao mesmo tempo permitiu a liberdade.

Nenhum homem foi tão honrado,

Também nenhum outro permitiu tamanha humilhação.

Tudo lhe era inabalado

Até mesmo na hora da crucificação.

Transparecia muita simplicidade.

Mesmo com a grandeza do seu poder,

Fazia com a sua humildade,

O rico, do seu degrau descer.

Jamais veremos maior prova de amor:

Alguém, por nós, morrer na cruz.

Só ELE, o Mestre e Senhor,

Só ELE, Cristo Jesus.

Autor: Paloma Andrade Pinheiro -
BOA PÁSCOA!

sábado, 27 de março de 2010

Ramos da nossa árvore!

(Foto extraída da net) - CEREJEIRA EM FLOR!
A vida do homem é comparável a uma ÁRVORE, o sábio agricultor semeia-a; e enquanto pequena, é rodeada de todos os carinhos, é protegida, amparada, salvaguardada do vento, da chuva, do calor, das intempéries em geral como tenra planta que é...até que ela comece a crescer e a florescer para poder dar frutos. De longe, o agricultor a vai observando, vendo a sua beleza, e, sabiamente constata se está pronta a deixá-la entregue a si própria. Repara ainda, cuidadoso, na ramagem desordenada e vai torná-la
harmoniosa. Poda os seus galhos, os seus ramos menos airosos, para que à vista de todos, ela fique ainda mais bela, mais cheia, mais viçosa, para poder finalmente seguir o seu destino! O destino de uma árvore é dar frutos bons e sãos, que sirvam de alimento a quem deles se socorrer.
Nós assim somos da mesma forma.
A nossa vida é uma árvore! Os galhos, os ramos menos airosos são os nossos defeitos, os nossos vícios, o nosso egoísmo, a nossa reacção de má-fé para com o nosso semelhante e toda a acção que nos torne menos dignos aos olhares de quem nos observa!
Assim...a poda se impõe! Cortar traz sempre dor, dor que mais tarde é colheita boa e doce - como as cerejas - que semeamos hoje e colhemos num amanhã!...São os frutos das nossas qualidades, virtudes e respeito que têm que ser úteis para serem saboreados. Por isso, temos que fazer uma sementeira digna, para também contribuir para o alimento de quem precisa usufruí-lo em equilibro e comunhão com a natureza.
Somos um só Universo! Somos o "TODO"! Com responsabilidades assumidas ao meio em que habitamos e em sentido ascencional, desejamos evoluir sempre no sentido de colher um mundo melhor!
A paz que é repouso, é fruto da justiça, à qual nós somos todos dependentes, e às quais não podemos de forma alguma descurar. Mais tarde... depois da colheita feita, podemos repousar das nossas canseiras para com a mãe TERRA que nos fez embrião, semente e germinar em fruto!
Assim é a ÁRVORE! E assim somos NÓS!

quinta-feira, 25 de março de 2010

Alegria de viver!

(Imagem extraída da net)



NÃO POSSO ADIAR O AMOR

Não posso adiar o amor para outro século
não posso

ainda que o grito sufoque na garganta
ainda que o ódio estale e crepite e arda
sob montanhas cinzentas

Não posso adiar este abraço
que é uma arma de dois gumes
amor e ódio

Não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre as costas
e a aurora imprecisa demore
não posso adiar para outro século a minha vida
nem o meu amor
nem o meu grito de libertação

Não posso adiar o coração

Autor: António Ramos Rosa (1924) – Portugal

segunda-feira, 22 de março de 2010

Primavera - Cerejas de Maio

http://images.google.com.br/images?um=1&hl=pt-BR&tbs=isch:1&q=primavera&sa=N&start=120&ndsp=20

Benvindos à estação do equilíbrio na natureza, do desabrochar dos aromas, da nova criação das mentes, da paixão, dos sonhos mais ousados, dos sentidos apurados, das sementes em nós cultivadas, dos frutos rebentados de dentro para fora, do amadurecimento da consciência, do ego erguido e da esperança que nos rodeia de um mundo colorido!
Da perene criação que transforma, que abala a fragilidade, que trepida os corações emotivos, que foge da realidade, que faz delírios, que baloiça os sentimentos, por nos sentirmos perdidos...porque a terra brota, puxa, e o universo conspira e nos arrasta para mais além...
Os corações só serão felizes e palpitantes quando em seu redor tudo sorrir! Saibamos ouvir os pássaros e sentir o perfume das flores em harmonia, em equilíbrio, e com tranquilidade e amor sentir então, a paz de todo o espaço, dentro de nós!
Quem dera que esta Primavera seja mesmo o desabrochar de uma nova era!

sexta-feira, 19 de março de 2010

Dia do Pai - 19 de Março 2010

CEREJAS DE MAIO

Gostei deste poema para este dia especial...faz um mês, hoje, que o meu sogro partiu deste mundo, e, também faz 27 anos em 10 de Dezembro que o meu pai também me deixou.

A minha lembrança, a minha saudade por todo o amor que recebi de ambos!
E daqui... BEIJO A MÃO de cada PAI!


Poema retirado de : http://4.bp.blogspot.com/_blepQVvY52g/Sb7PhlPpoZI/AAAAAAAABxk/qucwm-Dh5b4/s400/DIA+DO+PAI.jpg